Diabetes

O diabetes é um dos mais importantes problemas de saúde da atualidade, tanto em termos do número crescente de pessoas afetadas, como de suas possíveis complicações.

Diabetes - Neo Química

Indispensável ao corpo humano, a glicose é a principal fonte de energia para todas as suas células e, quando não utilizada imediatamente, é armazenada no fígado, nos músculos ou no tecido adiposo sob a forma de gordura para ser utilizada mais tarde.

Para que entre e alimente as células, a glicose depende da insulina - uma substância produzida naturalmente pelo pâncreas que age como uma “chave” - para agir. Portanto, se a insulina não conseguir exercer o seu papel, sobrará glicose no sangue e faltará dentro das células – esse fator prejudicará o funcionamento de muitas delas. A falta de ação correta da insulina nas células provoca um acúmulo excessivo de glicose no sangue (chamado de hiperglicemia) que, mantido de forma constante, torna-se a principal característica do diabetes (independente do tipo).

Os tipos de diabetes mais conhecidos são o diabetes mellitus tipo 1 e tipo 2, dependendo da quantidade e de como a insulina age sobre as células. No diabetes tipo 1, a insulina não consegue ser produzida pelo pâncreas em quantidades adequadas, motivo pelo qual falta insulina para colocar a glicose dentro das células. Já no diabetes tipo 2, a insulina é produzida normalmente, mas não consegue fazer com que a glicose entre nas células na quantidade necessária; esta “resistência” das células à ação da insulina costuma ser mais frequente em pessoas obesas e que se exercitam pouco.

Todos os sintomas clássicos do diabetes são decorrentes do aumento da glicose no sangue. São eles:

Poliúria

Poliúria

Aumento do volume da urina para eliminar a glicose em excesso.

Polidipsia

Polidipsia

Muita sede para compensar a perda excessiva de urina.

Polifagia

Polifagia

Aumento do apetite, para tentar compensar a falta de glicose dentro das células.

Fadiga

Fadiga

Causada pela falta de energia.

Emagrecimento

Emagrecimento

Pelo consumo de gordura e proteínas na tentativa de compensar a falta de glicose dentro das células.

Para que se conviva bem com o diabetes é necessário que a pessoa mantenha-se positiva e siga as orientações médicas a fim de manter uma ótima qualidade de vida. Deve-se respeitar a alimentação e os hábitos saudáveis recomendados, como: manter atividades físicas regulares, ficar longe do cigarro e manter-se livre de estresse, o máximo possível. A manutenção de um peso saudável é o objetivo primário para aqueles com diabetes tipo 2.

Fonte: Dr. Marcello Pedreira CRM 65377
Editora Veritas Comunicação Médica