O nosso website utiliza cookies para lhe identificar e aprimorar a sua experiência de navegação.
Alguns cookies são necessários, outros são utilitários, analíticos ou de marketing. Ao continuar navegando, você concorda com os termos da nossa Política de Cookies.

Página inicial Qualidade de Vida Pressão Alta

Pressão Alta

Segundo a Organização Mundial da Saúde, um em cada três adultos sofre de pressão alta, responsável por cerca de metade de todas as mortes por derrames e problemas cardíacos no mundo. Tire suas dúvidas sobre hipertensão.

Pressão alta - Neo Química

Pressão arterial é a força com que o coração bombeia o sangue pelos vasos, força essa que deve ser forte o suficiente para fazer o sangue chegar a todo o nosso corpo. Para entender de uma maneira fácil, imagine seu coração como uma torneira e suas artérias (os vasos por onde passa o sangue que sai do coração) como uma mangueira flexível presa a essa torneira. Ao abrir a água, ela é jogada contra a parede da mangueira com uma pressão que depende de quanto você abriu a torneira e do diâmetro da mangueira. É assim que funciona em nosso corpo.

A maneira que se tem de medir a pressão que o sangue faz nas artérias é calculando a pressão máxima com que ele chega (logo após o batimento do coração) e a pressão mínima com que ele força a parede das artérias, logo após o coração relaxar (entre um batimento e outro).

Quando a pressão máxima não ultrapassa os 120 milímetros de mercúrio (mmHg) e a mínima não passa dos 80, diz-se que os valores de pressão estão na faixa normal, ou seja, 120 x 80 (também se diz 12 x 8). Mas, se os valores chegam aos 140 x 90 mmHg (ou 14 por 9), já podemos falar em hipertensão arterial.

Pressão Arterial Normal

120 x 80 mmHg (12 por 8)
pressão arterial normal

Pré-hipertensão

120 x 80 mmHg até
140 x 90 mmHg pré-hipertensão

Hipertensão Arterial

140 x 90 mmHg (14 por 9)
hipertensão arterial

Segundo os médicos da Sociedade Brasileira de Cardiologia, mesmo as pessoas com pressão arterial normal têm 50% de chance de ter hipertensão após os 55 anos. Além da idade, o fato de familiares mais próximos serem hipertensos aumenta muito a chance de hipertensão. Características hereditárias vão dizer também o quanto a alimentação e o ambiente em que se vive vão influenciar em um possível aumento da pressão.

Comer demais nunca é bom, ainda mais quando se come o que não deve, como gorduras e açúcares em excesso. O resultado acaba sendo um aumento indesejado de peso e, muitas vezes, a obesidade. Hoje em dia, sabe-se que o sobrepeso e a obesidade podem se acelerar em até 10 anos o aparecimento da hipertensão.

O sal aumenta a retenção de líquido no corpo, inclusive dentro dos vasos, aumentando então a pressão nas paredes das artérias. Além disso, o sódio contido no sal reduz o diâmetro das artérias ao inibir uma substância dilatadora (o óxido nítrico), piorando ainda mais a pressão. Segundo os médicos da Sociedade Brasileira de Cardiologia, quem tem pressão alta deve reduzir o consumo de sal na alimentação, evitando o uso do saleiro, o consumo de produtos industrializados e de produtos sabidamente ricos em sódio.

Mantenha um estilo de vida saudável, procurando manter o controle do peso e uma atividade física regular, além de medições frequentes da pressão e acompanhamento médico periódico.

Fonte: Dr. Marcello Pedreira CRM 65377
Editora Veritas Comunicação Médica